Garotinho em processos meméticos

A integrante do TCAv Lidiane Mallmann realizou a sua banca de qualificação de mestrado na quarta-feira, dia 19 de julho. Junto com a orientadora, Sonia Montaño, os professores avaliadores Ana Paula da Rosa e Gustavo Fischer aprovaram o trabalho da mestranda, de título A criação de entreimagens nos processos meméticos. A pesquisa de Lidiane atenta em um fenômeno atual da internet – os memes. Sobre eles, a aluna lança uma perspectiva imagética.

Os memes que mais chamam a atenção de Lidiane são os que se originam a partir de acontecimentos. De modo geral, os acontecimentos ganham visibilidade nos meios de comunicação e, dependendo da situação, rapidamente, transformam-se em conteúdo de memes. Eventualmente, para criar os memes, os internautas se apropriam de imagens desses acontecimentos que foram veiculadas na mídia. A partir delas, fazem recortes, montagens e colagens e também inserem textos curtos. Por vezes, a intenção é provocar o riso. Quando prontos, eles são compartilhados nas redes sociais. Lidiane chama essa dinâmica que envolve o acontecimento, a criação dos memes e o compartilhamento nas redes sociais de processo memético.

Em seu trabalho de qualificação, Lidiane partiu de um acontecimento do ano de 2016 – a transferência do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho do hospital à cadeia. No dia 16 de novembro, Garotinho foi preso preventivamente pela Polícia Federal por causa das investigações da Operação Chequinho. Depois disso, ele passou mal e foi levado ao Hospital Municipal Souza Aguiar, do Rio de Janeiro. Lá, os exames indicaram alterações cardíacas. No dia seguinte, 17, Garotinho foi transferido desse hospital para o Complexo Penitenciário de Gericinó (Bangu) por determinação do juiz. A transferência foi tumultuada. Garotinho reagiu e precisou ser contido.

As imagens da reação do político renderam vários memes na internet. Para encontrá-los, Lidiane utilizou #Garotinho e #GarotinhoPreso no Facebook e no Instagram. Os 98 memes encontrados foram então divididos conforme a taxonomia de memes da pesquisadora Raquel Recuero. A mestranda conta que essa taxonomia foi produtiva para o seu trabalho. “Me ajudou a perceber o tipo de meme, o tipo de imagem que eu queria olhar. Foi aí que eu cheguei aos memes metamórficos.” Na leitura da aluna, “Memes metamórficos são imagens alteradas, reinterpretadas e apresentadas dentro de um contexto de debate”. Para pensar essas imagens, ela convoca conceitos e autores da linha de pesquisa Mídias e Processos Audiovisuais, como entreimagens, de Nelson Peixoto; imagem técnica, de Vilém Flusser; e softwarização da cultura e remix, de Lev Manovich. Para Lidiane, entreimagens, de modo especial, funciona como um modo de olhar. Nas palavras da mestranda, “As entreimagens são as relações entre as imagens e as suas novas versões”. No caso do acontecimento em questão, seriam as imagens da transferência de Garotinho e as atualizações ou as manipulações dessas imagens nos memes.

Em sua apresentação para a banca, Lidiane trouxe um meme em que as imagens de Garotinho e Pelé foram recortadas, montadas e coladas. Nele duram a comemoração do Rei do Futebol pela conquista do tetracampeonato da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo de 1994 e a reação do político. Contudo, a comemoração de Pelé e a reação de Garotinho são descontextualizadas e a combinação dessas imagens produz outros sentidos. “Quem resignifica o Garotinho é o Pelé”, aponta a mestranda.

#Garotinho (Objeto)

(Imagem cedida por Lidiane Mallmann ao site do TCAv)

 

Com as observações e as contribuições dos avaliadores, a pesquisa de Lidiane seguirá até a sua conclusão em 2018. Dentre outras coisas, a partir de agora, ela pretende analisar outras imagens que também viraram memes.

- Banca Quali Lidi

Sonia, Lidiane, Ana Paula e Gustavo após a banca de qualificação


Texto e foto: Fabricia Bogoni.