Fetichismos Visuais – Corpos Erópticos e Metrópole Comunicacional

O antropólogo italiano Massimo Canevacci rediscute o conceito marxiano de Fetisch para compreender as contradições da cidade contemporânea. A alteração das relações entre seres humanos e mercadorias envolve fetichismos visuais disseminados, sobretudo, pela tecnologia digital. Esse novo estilo de vida mistura publicidade, moda, música, arte e design – não mais mercadorias clássicas. Isso exige, então, uma “metodologia estupefata”, polifônica, que dê conta das mutações na metrópole comunicacional.

CANEVACCI, M.. fetichismos visuais. 1. ed. sao paulo: atelier, 2015. v. 1. 316p.

+ Talvez você se interesse por:

Deixe uma resposta