Ruído e transgressão no cinema underground

Na tarde da última quarta-feira, 21, Guilherme Malo Maschke, aluno do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da UNISINOS, vinculado ao Grupo de Pesquisa Audiovisualidades e Tecnocultura: comunicação, memória e design, qualificou sua pesquisa de Mestrado. Intitulado “Cartografia do extremo: ruído e transgressão no cinema underground”, o trabalho busca analisar as relações do extremo, o ruído e a transgressão no contexto do cinema underground.

A banca, realizada no campus São Leopoldo, foi composta pelos professores Dr. Fabrício Lopes da Silveira (UNISINOS), Dr. Marcelo Bergamin Conter (IFRS) e Dr. Gustavo Daudt Fischer, orientador da dissertação.

19403592_1378071148951439_27431864_o

Dividido em três eixos teóricos envolvendo Arqueologia da Mídia, Tecnocultura e Audiovisual, o mestrando apresentou o desenvolvimento do que chama de “Cartografia do Extremo”, onde relaciona os conceitos de ruído, transgressão, a estética negativa e o extremo. Seu aporte teórico parte de autores como Jussi Parikka, Jack Sargeant, Debra Benita Shaw, Friedrich Kittler, Thomas Elsaesser e Michel Chion e Susan Buck-Morss. O empírico, também constelado, é composto pelo filme “War Is Menstrual Envy”, de Nick Zedd, e pelo curta-metragem “A Bitter message of Hopeless Grief” do coletivo Survival Researche Lab. Confira abaixo alguns frames destas obras que são analisadas nesta pesquisa, respectivamente.

19416075_429864567399195_1438295155_n19441060_429864680732517_702330082_n19416061_429864867399165_2064581123_n19478007_429864944065824_341511158_n

Após a aprovação, os apontamentos e contribuições da banca, o autor comenta sobre o processo: “A banca foi muito produtiva e rendeu muitos apontamos que vão auxiliar na continuidade do desenvolvimento da dissertação”, afirma.

19401674_1378071098951444_1287342922_o


Texto e fotos: Vanessa Furtado.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta