Facebook, feed e o eterno retorno das imagens

Pensar sobre como as imagens do Facebook ofertam uma experiência estética de movimento é o objetivo do projeto de tese do doutorando William Mayer, integrante do TCAv, que realizou sua qualificação no programa em Ciências da Comunicação da Unisinos, no dia 12 deste mês.

Sob orientação da professora Suzana Kilpp, a pesquisa busca entender como experiência no fluxo de dados é construída a partir de uma ilusão de movimento própria das audiovisualidades, conceito trabalhado pelo grupo de pesquisa ao qual faz parte e que está presente em muitas das pesquisas realizadas na linha. Na ação entre máquina e usuário, investiga-se como é produzida, através dos algoritmos, uma estética própria das redes sociais, capaz de gerar o que o pesquisador chama de Imagem do Facebook.

facebook-2

O autor constrói a seguinte analogia: o cinema construiu através do movimento uma experiência perceptiva capaz de simular pela imagem o que antes parecia possível apenas pela percepção natural, desse modo, o Facebook estaria produzindo algo na mesma linha de construtos de movimento. Neste link você encontra um vídeo que mostra a iniciativa do facebook em produzi e publicizar vídeos em 360º, onde o espectador pode passear pelos quatro cantos da imagem, indo e voltando, tendo uma experiência de ambiência mais complexa do que as com menos dimensões.

Agora, o doutorando segue para a escrita final da tese, até 2019.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta