A linguagem das vinhetas de abertura de telenovelas em horário nobre

foto banca 2

Na terça-feira, dia 20 de maio, o integrante do Grupo TCAv Paulo Negri Filho defendeu a sua tese de doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Unisinos. Sob o título “Vinhetas de abertura de telenovelas brasileiras: uma cartografia do horário nobre”, o trabalho buscou compreender a linguagem das vinhetas enquanto mercadoria visual na televisão ao longo de cinco décadas. Negri analisou 27 vinhetas de telenovelas que foram ao ar no horário nobre da Rede Globo entre 1970 e 2015.

A fim de dar a ver o que caracteriza técnica e esteticamente uma vinheta de abertura de telenovela enquanto tal, Negri desenvolveu seis elementos cartográficos aos quais submeteu o seu objeto empírico. Ele observou os padrões e diferenças da trilha sonora, do formato, dos cortes, das técnicas de produção, do elenco e da saturação de cada vinheta. O principal objetivo da tese era representar graficamente o percurso histórico das vinhetas das telenovelas brasileiras, o que fez a partir da análise das seis categorias, como podemos ver no gráfico abaixo.

19264281_10155523054787558_1547785595_o

Gráfico que demonstra o hibridismo de técnicas e estéticas das vinhetas analisadas.

A partir disso, o pesquisador conclui que, independente das possibilidades tecnológicas de cada época, todas essas características variaram muito nesses 50 anos. Para Negri, as principais marcas próprias das vinhetas de abertura das telenovelas brasileiras são, portanto, o hibridismo de técnicas estéticas e formas, a autorreferencialidade à novela e emissora de origem e a interdependência das telenovelas, podendo ser vista como um produto em si com sentidos próprios independente da narrativa que a segue.

Vinheta pasione

Imagem da vinheta de abertura da telenovela Passione, que fez parte do corpus de análise da tese.

A pesquisa foi orientada pelo professor Dr. João Damasceno Martins Ladeira, também membro do TCAv. A banca foi composta pelos professores Dra. Luciana Panke (UFPR), Dr. Deivison Moacir Cezar de Campos (ULBRA), Dr. Fabrício Farias Tarouco (UNISINOS) e Dr. Gustavo Daudt Fischer (UNISINOS). Eles fizeram as suas considerações sobre o trabalho e anunciaram a aprovação do mesmo, conferindo à Negri o título de Doutor em Comunicação.

A tese completa será disponibilizada no site da biblioteca da Unisinos: <www.biblioteca.asav.org.br>.


Texto e foto: Kélliana Braghini.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta