Audiovisualidades, memórias e interfaces que compõem uma trajetória

postado em: Atualizações | 0

“Gosto quando se abrem as cortinas e o palco fica iluminado. Fico esperando, ansiosa, os atores ocuparem a boca da cena, no meio de cenários expressivos, e desejo que me arrebatem com uma convincente e sedutora ação dramática. Gosto de situar meus cinquenta anos nesse final de século, e meus vinte em 68, e de ter feito teatro. Mas o que eu mais gosto mesmo é de poder refletir hoje sobre isso”

O trecho acima faz parte do texto “O movimento teatral no Brasil de 1968” da professora Dra. Suzana Kilpp, coordenadora do TCAV, que trata das expressões e das potencialidades artísticas de um Brasil marcado pelas expectativas contraditórias de um futuro que estava por vir. Entre os fatos e as lembranças dos acontecimentos de 68, Kilpp retoma as particularidades do movimento teatral brasileiro durante a Ditadura Militar (1964-1985). O engajamento crítico que conduz este texto da autora também comparece em outros espaços e com outras imagens, como os projetos de pesquisa centrados no universo televisivo e os livros produzidos ao longo da sua trajetória acadêmica.

XI Semana da Imagem na Comunicação

Com o intuito de compartilhar os materiais e os conceitos construídos ao longo desses estudos, Kilpp reuniu imagens, artigos e as principais referências teóricas no site intitulado “Audiovisualidades de TV”.

Captura de tela do site “Audiovisualidades de TV”

Nele é possível conhecer os oito projetos de pesquisa executados desde 1996: “História da TV no Rio Grande do Sul” (1996/1999); “Ethicidades televisivas” (1999/2002); “O voyeurismo televisivo” (2003/2005); “A traição das imagens” (2005/2007); “Devires de Imagem-Duração” (2007/2010); “Audiovisualidades digitais” (2009/2012); “Audiovisualidades de webTVs” (2012/2015) e “Interfaces contemporâneas de TV: paradigmas durantes em telas de dispositivos móveis” em andamento desde 2015.

A partir do site, é possível acessar também o blog que armazena textos, experimentos e entrevistas em vídeos desenvolvidos nos ambientes da Unisinos.

Além dessa coleção acadêmica disponível online, existe o livro “Imagem-duração e teleaudiovisualidades na Internet” (2018) que compõe em um único (e múltiplo) texto, uma “galáxia” de fragmentos que conectam o universo da Televisão ao longo da História do Brasil, da Web, da Metodologia das Molduras, dos fundamentos do TCAV e de muitos problemas de pesquisa colocados à prova.     

É importante mencionar a diversidade do trabalho de Kilpp a partir de outros títulos publicados e organizados, como: “Os cacos do teatro” (1997); “Apontamentos para uma história da televisão no Rio Grande do Sul” (2000); “Ethicidades televisivas. Sentidos identitários na TV: moldurações homológicas e tensionamentos” (2003); “A traição das imagens: espelhos, câmeras e imagens especulares em reality shows” (2010); “Tecnocultura audiovisual. Temas, metodologias e questões de pesquisa” (2015) dentre outros.

Texto: Julieth Paula

Imagens: acervos do grupo TCAV e capturas do site da profª Dra. Suzana Kilpp

Deixe uma resposta