Cinemas latino-americanos e culturas populares: a transmetodologia nas ciências da comunicação

Os discentes que fazem parte do grupo TCAV vêm experimentando diferentes formas de difundir suas pesquisas. As contribuições da linha estão pautadas nos estudos de comunicação, imagem, audiovisual, experimentações metodológicas e epistemológicas.

O doutorando da linha Julherme José Pires teve seu texto, de título “Cinemas latino-americanos e culturas populares: a transmetodologia nas ciências da comunicação”, publicado no livro Investigación crítica en comunicación en América Latina: Diálogo con la vertiente Mattelart, coordenado por Alberto Efendy Maldonado e Edizon León Castro.

No artigo, o pesquisador parte de um tensionamento sobre a apropriação de teorias europeias e norte americanas em nossos estudos latino-americanos. Para ele, é essencial a retomada de culturas populares e tradições orais para o desenvolvimento de epistemologias próprias. Para tanto, o pesquisador precisa querer conhecer seu objeto, viajando para dentro dele, na busca por entender as relações entre o objeto e outras tantas peças do mundo.


A descolonização parte de uma visada cultural, política e social

Julherme analisa a cadeia de distribuição brasileira em relação ao modelo hollywoodiano hegemônico. Ainda, para ele, o acesso precário à cultura de seu próprio país através é uma das formas que a hegemonia norte americana se conserva.

Utilizando de teóricos como Arlindo Machado (2007) para falar de imagem e som, o autor explora algumas ideias sobre montagem e suas relações com as relações contextuais de determinado produto audiovisual.

A escrita desemboca no filme Aquarius (2016, Kleber Mendonça Filho) – objeto da tese de Julherme. A memória da cidade de Recife aparece no filme através de fotografias e álbuns musicais dos anos 1970. O autor segue uma análise de momentos musicais e visuais do filme para compor ideias sobre a Era de Aquarius e presença de culturas populares.

Para finalizar suas contribuições para a exploração epistemológica a partir de culturas populares, o pesquisador destaca a importância da quebra com o modelo hegemônico teórico e audiovisual. Além disso, a memória e geopolítica seriam centrais para o entendimento latino de suas próprias manifestações culturais.


Texto: Analu Favretto.

Deixe uma resposta