#TecnometodologiasTCAv: Abordagem audiovisual em obras sobre gênero na juventude dentro do dispositivo cinema argentino

Os textos que compõem esta seção constituem uma investigação dos procedimentos técnico-metodológicos utilizados nas pesquisas de mestrado e de doutorado de integrantes e de egressos do Grupo TCAv.

Título do trabalho: Linhas sobre o dispositivo Cinema Argentino: a emergência de uma abordagem audiovisual de gênero na juventude
Nível: Mestrado
Autor: Fernando Souto Dias Neto
Ano de defesa: 2013
Orientadora: Profa. Dra. Suzana Kilpp
Tags: cinema argentino, cinema gênero, cinema sexualidade, cinema sociologia, corporalidade.
Link da Tese: http://www.repositorio.jesuita.org.br/bitstream/handle/UNISINOS/4122/fernandoneto.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Fernando Souto Dias Neto é Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), especialista em Pedagogia da Arte pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e graduado em História Licenciatura Plena pelo Centro Universitário Franciscano. Atualmente, cursa especialização em Gestão Educacional pela Universidade Federal de Santa Maria, além de atuar como professor da rede estadual pública no Rio Grande do Sul.

Em sua pesquisa de mestrado, o autor explorou questões acerca de identidades de gênero e sexualidade presentes no cinema argentino, usando como base fatores histórico-sociais e culturais presentes nas obras audiovisuais argentinas, bem como de que forma funciona o fazer cinema no país. Vale ressaltar que seu estudo foi baseado nas teorias pós-estruturalistas, tendo como norte os seguintes autores: Michel Foucault, Gilles Deleuze e Roland Barthes.

Como parte de seu referencial teórico, antes da análise dos filmes com temática mais voltada ao gênero e sexualidade, o autor discorre brevemente sobre as mudanças que houveram na produção cinematográfica argentina entre o final do século XX e o início do século XXI, principalmente no tocantes às temáticas presentes nas películas. Um paralelo que Dias Neto faz com o cinema brasileiro é a respeito de filmes que retratam a ditadura militar na Argentina que, assim como no Brasil, foram produzidas inúmeras obras. Todavia, para chegar ao corpus definido em seu estudo, o autor relata que apesar de esse repertório cinematográfico ser relevante para manter viva a memória do que se passou durantes os anos de ditadura militar, os mesmos não tinham espaço para debater temas como gênero, masculinidade, feminilidade e sexualidade. É, principalmente, a partir dos anos 2000 que o cinema argentino se abre para temáticas, que a partir de nossa leitura, podem ser enquadradas enquanto LGBTQIA+.

A partir de uma análise da subjetivação de Foucault e Deleuze, o autor identifica que a filmografia argentina busca provocar experimentações nos espectadores, consumidores e todos aqueles que lançam um olhar sobre essas audiovisualidades. No seu corpus para análise, Fernando Souto Dias Neto traz, com maior relevância, cinco obras, são elas:  

AUSENTE. Marco Berger. Argentina: Mariano Contreras, 2011. 87 min: son. color.

GLUE: uma história no fim do mundo. Alexis Dos Santos. Argentina: Alexis Dos Santos Soledad Gatti-Pascual, 2006. 110 min: son. color.

O MENINO PEIXE (El Niño Péz). Lucia Puenzo. Argentina, Espanha, França: Luis Puenzo, 2009. 96 min: son. color.

PLANO B (Plan B). Marco Berger. Argentina: 2009, 100 min: son. color.

XXY. Lucia Puenzo; Luisina Troncoso; Natasha Braier; Sérgio Bizzo. Argentina, Espanha, França: Luis Puenzo, 2007. 86 min: son. color.

Cartazes dos filmes analisados pelo autor.
Montagem: Grupo TCAv.

Ainda de acordo com o autor, o que é mais marcante nas obras selecionadas para compor o corpus é como elas rompem determinismos patológicos, corporalidades, determinismos biológicos, tradições reproduzidas ao longo dos tempos, ou até mesmo dispositivos sociais que são atravessados por linhas discursivas. Ou seja, são obras que quebram padrões heteronormativos que estão inseridos dentro de lógicas binárias. 

“O que fica demonstrado através da adoção da estética em Foucault é a possibilidade de entender que discursos montaram e construíram sujeitos com o decorrer dos tempos, gerando o estabelecimento de regras para a existência, além de modos de ver, ser visto, agir, entre outros, como expressões e atitudes dos indivíduos.”

Fernando Dias Souto Neto

O trabalho de Fernando Souto Dias Neto se estabeleceu como uma observação e experimentação do cinema argentino enquanto dispositivo a partir do corpus delimitado com os cinco filmes selecionados, já citados acima. Sua análise se deu através da genealogia, da arqueologia e também através da estética pela perspectiva do pensamento foucaultiano. Além disso, o autor também observou o conteúdo através de uma ótica sócio-histórica a qual buscou ampliar o debate para as manifestações de gênero e sexualidade, bem como as questões identitárias na juventude.

Texto: Andressa Machado

Revisão: Julia Souza

Deixe um comentário